História

historiaEm 1999, o Brasil teve uma grande epidemia de Dengue a nível nacional, época na qual o empresário Cícero Victorio da Costa e seu filho Marcius Victorio da Costa, que moravam nos Estados Unidos, estudavam importar um equipamento para o combate à Dengue. Devido às altas taxas de importação e fortes oscilações no câmbio, o projeto acabou inviabilizado, causando um grande prejuízo. Em um momento de descontração perante a situação, Cícero falou: Por que não transformamos uma moto em um fumacê? Diante de todos os estudos realizados sobre o mercado de combate a vetores, percebeu-se que seria uma grande ideia utilizar uma motocicleta, algo que permitiria combinar alguns aspectos críticos a este tipo de aplicação: flexibilidade, eficácia, autonomia e custo. Assim surgiu a MotoFumacê.

Após alguns anos de estudos, o projeto foi retomado em 2005. Em uma garagem de um amigo e uma moto emprestada, Marcius começou a fazer alguns testes de viabilidade. Na época, Marcius trabalhava com desenhos industriais com o amigo Marcelo Costa Machado, com quem compartilhou a ideia do MotoFumacê. Depois de alguns meses de discussões, decidiram encarar o desafio de INOVAR.

A empresa Fumajet foi fundada no início de 2009, incubada pela Universidade Veiga de Almeida com parcerias tecnológicas com empresas do Instituto Genesis – PUC-Rio: Ativa Tecnologia e Desenvolvimento, SEBRAE, com o objetivo de concentrar as atividades de PD&I e industrialização dos seus produtos. Seus sócios fundadores estudaram e criaram competências no desenvolvimento e gerenciamento de projetos envolvendo patentes e inovações tecnológicas.

Desde sua fundação, os projetos foram desenvolvidos respeitando escopos e metodologias apresentados a instituições de fomentos como FAPERJ e FINEP. As exigências dessas instituições na clareza das etapas de execução do projeto, ajudou na formação da metodologia de PD&I e na capacitação e profissionalização da equipe Fumajet.

Ao longo dos anos, fomos nos aperfeiçoando com o apoio de consultorias do SEBRAE (FGA – Ferramenta de Gestão Avançada), SENAI, ENDEAVOR, entre outras.

Com a estratégia organizacional de PD&I, analisa-se todos os aspectos necessários para eliminar possíveis contratempos e a viabilidade do projeto. Assim, define-se a equipe responsável, as etapas, metas, custo e tempo.

Após aprovado o plano de PD&I e mercadológico, são definidas as metas para:

  • Capitar verba para o projeto (próprio, BNDES, editais, parceiros investidores);
  • Parcerias tecnológicas e comercial;
  • Contratação de serviços terceirizados;
  • Parte jurídica (patentes).

Os processos implantados resultaram no desenvolvimento e lançamento da tecnologia Motofog no ano de 2010, rendendo reconhecimento da capacidade inovadora da Fumajet, com premiações nacionais e internacionais, contemplação de editais e participação em feiras e congressos. Hoje, a empresa possui 17 patentes depositadas no Brasil e no exterior, com operações no Brasil, África e América Central.

PARCEIROS:

Parceiros Fumajet